Rota do Românico discute importância do património

A Diretora Regional de Cultura do Norte, Laura Castro, participa no debate sobre a importância do património histórico-cultural no desenvolvimento e coesão dos territórios. A iniciativa está marcada para o dia 22 junho, pelas 15h00, na TSF - Rádio Notícias.

Em terras dos vales do Sousa, Douro e Tâmega ergue-se um importante património arquitetónico de origem românica, que se encontra estruturado na Rota do Românico (RR), que tem vindo a afirmar-se como um projeto de referência nacional, com um importante papel no desenvolvimento regional.

A 22 de junho, a TSF e a RR debatem a importância do património histórico-cultural no desenvolvimento e coesão dos territórios. Uma mesa redonda para perceber qual o lugar da RR na economia local, no turismo; a importância de preservar tradições e monumentos; de que forma contribui para o desenvolvimento sustentado do território dos vales do Sousa, Douro e Tâmega, etc. Análise e olhar sobre o presente e o futuro da RR, que conta com a presença de: Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, E.R; Rosa Cortez, secretária-técnica do Programa Operacional NORTE 2020 na CCDR-N; Humberto Brito presidente da Associação de Municípios do Vale do Sousa | Rota do Românico e Laura Castro, Diretora Regional de Cultura do Norte.

A Rota do Românico foi criada em 1998, no seio dos concelhos que integram a VALSOUSA– Associação de Municípios do Vale do Sousa – Castelo de PaivaFelgueirasLousadaPaços de Ferreira, Paredes e Penafiel, e alargada, em 2010, aos restantes municípios da NUT III – Tâmega e Sousa (AmaranteBaiãoCelorico de BastoCinfães, Marco de Canaveses e Resende), unindo num projeto supramunicipal um legado histórico e cultural comum.

Ancorada num conjunto de 58 monumentos (e dois centros de interpretação) de grande valor e de excecionais particularidades, esta Rota pretende assumir um papel de excelência no âmbito do turismo cultural e paisagístico, capaz de posicionar a região como um destino de referência do românico, estilo arquitetónico que perdurou entre os séculos XI e XIV.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on skype
Skype
Notícias Recentes
A partir do dia 20 de setembro, o Museu de Lamego encerra temporariamente e de modo faseado as suas salas de exposição. Em causa as obras de reabilitação que visam melhorar as condições de acessibilidade física e comunicacional do museu, inseridas na Operação “Museu de Lamego. Museu para todos”.
Siga-nos