Notícias
16 Abr. 2019 Nota de Pesar: Maria Alberta Menéres A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamenta a morte da professora, escritora e jornalista Maria Alberta Menéres, aos 88 anos.

 
O seu nome ocupa um lugar de destaque na história da poesia portuguesa do século XX, seja enquanto autora, onde se destaca o livro Água de Memória, vencedor do Prémio do Concurso Internacional de Poesia Giacomo Leopardi, seja pela co-organização, em conjunto com o marido E. M. de Melo e Castro, da Antologia da Novíssima Poesia Portuguesa, uma obra ímpar pelo rigor da seleção, pelo detalhe e completude da informação e pelo impacto que teve na poesia portuguesa contemporânea.
 
O talento e a singularidade de Maria Alberta Menéres devem também ser recordados pela sua obra infantojuvenil. Foi através do seu Ulisses (1970) que muitas crianças e jovens tiveram o primeiro contacto com o grande clássico homérico. A sua obra nesta área foi, aliás, reconhecida, no seu conjunto, com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens. 
 
A sua dedicação aos públicos mais jovens foi uma constante não só do seu percurso literário, mas também da sua carreira profissional. Professora dos Ensinos Básico e Secundário, foi ainda autora de inúmeros programas televisivos para crianças, tendo sido Diretora do Departamento de Programas Infantis e Juvenis da RTP de 1974 a 1986. Foi também assessora do Provedor de Justiça, de 1993 a 1998, cargo onde criou e foi responsável pela linha telefónica "Recados da Criança”.
 
Mulher de um compromisso extraordinário e permanente com a educação e com a promoção do prazer da leitura, fez do dar a conhecer aos outros uma responsabilidade que ultrapassou a sua condição de escritora. Deu-nos a conhecer poesia, contos, histórias maravilhosas e fez, de quem a leu, melhor leitor.
 
À Família e aos Amigos enviam-se sentidas condolências.