Notícias
13 Mar. 2018 Casa das Artes: Recital de piano a 4 mãos O Duo Logomusica apresenta o recital «Danças húngaras, arranjadas para piano por Johannes Brahms», na Casa das Artes, no Porto, dia 23 de março, pelas 19h00. Entrada livre. Evento
O Duo Logomusica de piano é constituído por Irene Fernandes e Jorge Moreira e surgiu em 1993. Os dois pianistas são licenciados pela Universidade de Aveiro, onde estudaram com Vitali Dotsenko. 

De seguida realizaram cursos de aperfeiçoamento em piano na Academia Superior de Música E. Gnessin, em Moscovo e ainda no Trinity College of Music, em Londres. Neste último lugar estudaram ambos com Alexander Ardakov. Em 2011 concluiram o mestrado em música na vertente de performance na Universidade de Aveiro sob a orientação de Nancy L. Harper.

A par do repertório a solo, têm-se dedicado ao programa para piano duo. O seu repertório inclui não só obras para piano a 4 mãos, incluindo a integral das sonatas de Mozart, como também para 2 pianos de Mozart, Schubert, Debussy e Scriabin, entre outros. 

O duo já actuou em diversos locais, tais como o Espaço das 7 às 9 do CCB, o Ateneu Comercial do Porto e o salão Ático do Coliseu do Porto, no âmbito do Festival Internacional Logomusica 2004, que organizaram em parceria com o Coliseu do Porto. Em 2008 tocaram a integral das sonatas para 4 mãos de W. A. num recital único integrado no Festival do Ateneu Comercial do Porto.

Danças Húngaras
As danças húngaras foram compostas entre 1869 e 1880 por Johann Brahms. Elas constituem, por assim dizer, uma recolha da música popular cigana que o compositor teve a oportunidade de escutar nos cafés vienenses. 

Por esse motivo, não as considerava uma criação sua, logo não lhes foi atribuído número de opus e foram publicadas com o título Danças húngaras, arranjadas para piano por Johannes Brahms.

Existem inúmeras versões, para os mais diversos conjuntos, destas composições. O próprio Brahms redigiu uma versão para 2 mãos dos dois primeiros livros e orquestrou algumas danças. 

O compositor Antonin Dvorak, que mais tarde inspirado por este conjunto de peças escreveria as suas Danças eslavas para 4 mãos, orquestrou outras. Mas a versão que conheceu mais sucesso foi aquela para piano e violino. Não obstante, Brahms sempre acarinhou a versão original para 4 mãos, como está testemunhado na correspondência para o seu editor Friedrich Simrock: "Concebi-as para quatro mãos; se as tivesse feito para orquestra, elas seriam diferentes...”

Estas peças muito contribuíram para a reputação de Brahms, que harmonizou e organizou o material folclórico de forma magistral. Tanto o compositor como Clara Schumann frequentemente terminavam os seus recitais com algumas destas danças.

Entrada livre, sujeita à lotação da sala.