Notícias
08 Nov. 2018 Apresentação do roteiro «Viajar com Alberto Sampaio» A Direção Regional de Cultura do Norte promove no próximo dia 15 de novembro, pelas 17h30, a apresentação pública do roteiro literário «Viajar com... Alberto Sampaio», de Emília Nóvoa Faria e António Martins, que decorrerá na Rua da Rainha D Maria II, nº 132, em Guimarães.


A partir da edição da coleção Viajar com... Os caminhos da Literatura, a Direção Regional de Cultura do Norte pretende dar a conhecer alguns dos mais relevantes escritores da Literatura Portuguesa, cuja vida e obra passaram pela região Norte.

Recorde-se que, no âmbito desta iniciativa, foram já editados cerca de duas dezenas de roteiros, dedicados, a título de exemplo, a Aquilino Ribeiro, Ferreira de Castro, Camilo Castelo Branco, Eça de Queiroz, Trindade Coelho, José Régio, Miguel Torga, Luísa Dacosta ou Guerra Junqueiro. 

Ao leitor propõem-se dois desafios: viajar pelo Norte de Portugal guiado pela mão experiente e mágica dos nossos escritores e, simultaneamente, viajar por dentro dos caminhos da literatura, descobrindo as paisagens, as cores, os sons que inspiraram as páginas que eles nos deixaram e, também, as ações e as gentes que deram corpo às personagens e heróis que criaram para nós e que, hoje, fazem parte do nosso imaginário coletivo e da nossa identidade.

Alberto Sampaio | Nota biográfica
Alberto Sampaio nasceu a 15 de Novembro de 1841, em Guimarães. No ano de 1858, matriculou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, concluindo o bacharelato, em 1863. Durante o tempo de permanência na Lusa Atenas – onde conviveu com algumas das figuras mais notáveis da sua geração, entre as quais Antero de Quental, José Falcão, Teófilo Braga, Manuel de Arriaga, António de Azevedo Castelo Branco e Alberto Teles –, foi um activo participante nas correntes de renovação que agitaram a sociedade estudantil coimbrã, intervindo como colaborador e redactor de diversas publicações académicas. Recém-diplomado, dispôs-se a iniciar a carreira de advogado em Lisboa. No entanto, a inadaptação à vida cosmopolita fê-lo regressar, em definitivo, ao Minho. Integrou, em 1869, a filial de Guimarães da Associação Arqueológica de Lisboa e, em 1873, o núcleo de fundadores da Companhia dos Banhos de Vizela. O seu nome está também associado à fundação da Sociedade Martins Sarmento no ano de 1881, a qual o viria a distinguir, dez anos mais tarde, proclamando-o sócio honorário. Considerado um profundo conhecedor do mundo rural, os seus serviços de aconselhamento eram requisitados com frequência por organismos oficiais e pelos amigos mais próximos. De entre eles, destaca-se pela sua importância, a extensa colaboração que prestou, a pedido de Oliveira Martins, na elaboração do Projecto de Lei de Fomento Rural, apresentado à Câmara dos Deputados na sessão de 27 de Abril de 1887. Antes disso, já em 1884, Alberto Sampaio tinha dado à estampa O presente e o futuro da viticultura no Minho e desempenhado, nesse mesmo ano, com assinalável êxito, as funções de Director Técnico da 1ª Exposição Industrial de Guimarães. Pioneiro da história económica em Portugal, o seu talento como historiador da nossa Idade Média ficou bem patente nas suas principais obras, As Vilas do Norte de Portugal e As Póvoas Marítimas do Norte de Portugal. Morreu na sua Casa de Boamense, a 1 de Dezembro de 1908. Em 1923, por iniciativa do seu amigo Luís de Magalhães, a Livraria Chardron reuniu a sua obra, dispersa em revistas literárias e científicas da época, sob o título Estudos Históricos e Económicos.